Um blog com partilhas diversas…

Archive for Junho, 2007

Cubo

Sexta-feira, Junho 22nd, 2007

Há uma nova publicação no mercado, a revista mensal Cubo. É distribuída com o jornal Sol, no último sábado de cada mês. Dedica-se a diversos temas na área do design e arquitectura, mas com uma abordagem bastante acessível a leigos (como eu). Houve diversos artigos que me interessaram, dou o exemplo do artigo sobre o novo museu de arte de Cagliari (ver foto), o do percurso de um jovem designer que hoje é responsável pela imagem da Casa da Música, ou ainda sobre os desenhos que Siza Vieira é capaz de fazer quando está entre amigos.

Ainda não possui site, mas está para breve. Entretanto, descobri uma publicação semelhante britânica. http://www.square-mag.co.uk/

nuragic_cagliari_museum_zh1106.jpg

Hopkins em Ruptura

Domingo, Junho 17th, 2007

Anthony Hopkins continua no seu melhor. O seu mais recente trabalho, Ruptura, é uma excelente prova disso. Este filme é basicamente uma medição de forças entre Ted Crawford (Hopkins) e Willy Beachum (Ryan Goslin) nos papéis de acusado e acusador num processo de homicídio. O argumento é de grande qualidade e, apesar de poder haver a tentação de comparar com o duo de O Silêncio dos Inocentes, Hopkins prova a sua versatilidade e tem um desempenho completamente distinto. A não perder.

 100794_1177292519291.jpg

Quanto tempo depois?

Segunda-feira, Junho 4th, 2007

Bem, depois de alguma instabilidade no blog devido a questões técnicas que me ultrapassaram, eis-me de volta.

twenty_eight_days_later.jpg

28_days.jpg

Antecipando a estreia do filme 28 Semanas Depois, decidi ver o 28 Dias Depois (o início da história de onde partirá a sequela), do qual só tinha lido e ouvido elogios. Trata-se, em linhas gerais, da disseminação de um vírus mortal em Londres que mata parte dos habitantes e provoca o êxodo da restante população para outros lugares do país, da ilha e do mundo. O que se observa é o percurso de um indivíduo que encontra um grupo com o qual busca a sobrevivência e uma saída para o que aparentemente não tem solução.

A acção é extremamente cativante e as interpretações muito boas, a ver ou rever.