Archive for June, 2006

Amado nos Negócios Estrangeiros

Friday, June 30th, 2006

A notícia era, há muito, esperada. Freitas do Amaral sai do governo de José Sócrates. Luis Amado salta da Defesa para o MNE (Ministério dos Negócios Estrangeiros). Ainda bem que há outro assunto sem ser o Mundial de Futebol.

Um bom inquérito de rua seria, amanhã, perguntar aos portugueses se sabem quem é que os representa a nível internacional.

Lilia Bernardes

Quotas para as mulheres: Sim ou Não?

Friday, June 30th, 2006

Mulheres votam no Koweit

Numa altura em que se discute, em Portugal, se deverão existir quotas mínimas de participação de mulheres na Assembleia República, as mulheres kowaitianas alcançaram o direito para eleger e serem eleitas apenas em Maio de 2005, no seguimento de uma reforma eleitoral proposta pelo Governo e aprovada por maioria pela Assembleia (23 votos contra e 1 abstenção num universo de 50 deputados).
Ontem 340.000 eleitores, entre os quais 57% são mulheres, foram chamados às urnas para participarem nas eleições legislativas.
A oposição conseguiu angariar 33 assentos parlamentares dos 50 disponíveis, o que poderá levar ao reverso das estratégicas políticas traçadas pelo Governo.
Apesar de 28 mulheres se terem candidatado a parlamentares, nenhuma delas foi eleita.

Será que alguma vez irão ser discutidas as quotas para as mulheres no Koweit?

Fonte:
http://www.correiomanha.pt/noticia.asp?id=206852&idselect=91&idCanal=91&p=200 

Roberto Xavier

7º Funchal Jazz Festival

Thursday, June 29th, 2006

7 Funchal Jazz Festival

7º Funchal Jazz Festival

6 | 7 | 8 Julho 2006

Jardins Quinta Magnólia

OS BILHETES JÁ ESTÃO À VENDA NA BILHETEIRA DO TEATRO MUNICIPAL BALTAZAR DIAS
(cadeiras 10,00 euros, peão 7,50 euros, para cada espectáculo - 50% desconto para estudantes e 3ª idade)

Roberto Xavier

Mr. Bush! GO HOME

Thursday, June 29th, 2006

O Presidente George W. Bush reagiu à decisão de hoje do Supremo Tribunal que considerou como ilegais os tribunais militares especiais de Guantanamo, afirmando que irá pedir autorização ao Congresso para julgar os suspeitos de terrorismo, noticia a agência Lusa. 

«Enquanto houver margem de manobra para colaborar com o Congresso para determinar se os tribunais militares são ou não uma via para permitir às pessoas comparecer em tribunal é isso que vamos fazer», disse o Presidente dos Estados Unidos. 

«O povo americano precisa de saber que governar, no meu entendimento, não é deixar à solta na rua os assassinos», acrescentou.

O Supremo Tribunal dos Estados Unidos decidiu hoje que os tribunais militares de Guantanamo, criados para julgar os «combatentes inimigos» capturados no Afeganistão e detidos na base militar norte- americana em Cuba, são ilegais porque o Presidente Bush não tinha autoridade para os instituir. 

MR BUSH DEVERIA ESTAR PRESO.

Lília Bernardes

A fábula da Internet em banda larga

Wednesday, June 28th, 2006

Nestes últimos dias, o Primeiro-Ministro tem afirmado peremptoriamente que neste momento todo o país tem cobertura de Internet por banda larga. Isto significa que qualquer português pode requisitar Internet por banda larga sem lhe serem colocadas restrições.
José Sócrates aproveitou a onda e também mencionou que os custos para os utilizadores deste serviço estão entre os mais baixos da União Europeia.

Segundo o estudo Bareme Internet da Marktest, publicado em Junho de 2005, em consonância com o estudo “Internet Usage by Individuals and Enterprises 2004” do Eurostat, apenas um terço dos portugueses utilizam a Internet, enquanto a média europeia é de 47% A internet na Europa 

No que diz respeito aos lares que estão ligados em banda larga, Portugal situa-se nos 16,7%, ficando abaixo da maioria dos países da Europa dos 15, inclusive da Estónia. Lares ligados em banda larga

Em relação aos custos da banda larga, a edição de Junho de 2005 da revista DECO PROTESTE revela: «Na ligação analógica, Portugal está entre os países mais caros, o que preocupa a associação de defesa do consumidor, pois “é predominante no nosso país”. No ADSL, a situação repete-se. À partida, os portugueses pagam das tarifas mais baixas, sobretudo no cabo e para uma utilização esporádica. Contudo, as velocidades e os limites de tráfego são bastante inferiores aos praticados lá fora.»

Para além destes dados, que comprovam que Portugal ainda está muito aquém do que é anunciado, é importante ter em conta que existem lugares neste país que não possuem electricidade e que há pessoas que não têm quaisquer habilitações para poder actuar nesta área. Agora pergunto: de que adianta ter um cabo com banda larga se não há electricidade para ligar o computador ou não há os mínimos conhecimentos informáticos?

Mais uma vez somos atingidos pela demagogia política que esquece o fulcral - investimento no capital humano.

Fontes:
http://www.negocios.pt/default.asp?CpContentId=278290
http://www.marktest.com/wap/a/n/id~82d.aspx
http://epp.eurostat.ec.europa.eu
http://www.deco.proteste.pt/map/src/355281.htm


Roberto Xavier

A exumação do real

Tuesday, June 27th, 2006

O motivo da conversa, desse dia, recaía no suposto poder de manipulação dos media, sobretudo da televisão. 

Será que o real se altera na presença de um operador de câmara?

Há uns anos, no velho bairro das “Malvinas”, em Câmara de Lobos, um grupo de mulheres falava calmamente com a jornalista sobre alegados problemas de má vizinhança originados pela venda e compra de droga.

Quando o repórter fotográfico chegou, alguém confundiu o design da máquina, fazendo passar erradamente a informação de que acabara de chegar «a Televisão».

Em menos um minuto, o “milagre” aconteceu. As vozes subiram de tom, gritaram-se insultos e, por fim, o confronto físico. Uma delas, mulher robusta de língua afiada, levanta uma garrafa de cerveja no ar pronta para o lançamento. Antes, porém, certifica-se se vale a pena correr o risco e pergunta excitada à jornalista: “Vai passar no telejornal?l».

«Não…não passa… aquilo (aponta para a objectiva) é uma máquina fotográfica. Nós não somos da televisão mas …»

Não houve tempo para justificar o ”mas”.  A actualização da mensagem colocou fim ao confronto. Acabou-se o espectáculo. Como se, de repente, um árbitro apitasse o fim do jogo. A jornalista e o repórter fotográfico são deixados, de imediato, ao abandono. Já não há notícia. Nada para dizer. “That’s all falks», como nos filmes.

Sendo assim, pergunto: quem manipula o quê?

Lília Bernardes

A Lei das Bandeiras

Monday, June 26th, 2006

Bandeiras Portugal e Brasil

A Bandeira Nacional, quando desfraldada com outras bandeiras, não poderá ter dimensões inferiores às destas. Lei é Lei. E o uso da Bandeira Nacional tem regras, mesmo em tempo de Mundial de futebol, desporto de massas, onde a comercialização e o culto dos símbolos nacionais se tornou banal. Na Madeira, as autoridades policiais cumpriram à risca o diploma aprovado há dezanove anos. Um cidadão brasileiro, residente no Funchal, foi obrigado a retirar a bandeira do Brasil do exterior da sua residência, uma vez que as dimensões desta eram superiores às dimensões da bandeira portuguesa. A ordem foi acatada sem problemas. A legislação referente ao uso da Bandeira Nacional, muitas vezes desconhecida pelas próprias entidades oficiais, encontrou-se dispersa e incompleta durante muitos anos, tendo sido actualizada através do decreto-lei nº 150-87, de 30 de Março, aprovada em Conselho de Ministros liderado por Aníbal Cavaco Silva e promulgada pelo Presidente da República, Mário Soares. O objectivo do articulado é claro. «Dignificar a Bandeira Nacional como símbolo da Pátria» e  «avivar o seu culto entre todos os Portugueses».  

O não cumprimento da lei sujeita o infractor à cominação prevista na lei penal. Refere o diploma que a Bandeira Nacional, no seu uso, deverá ser apresentada de acordo com o padrão oficial e em bom estado, de modo a ser preservada a dignidade que lhe é devida. De acordo com seu artigo 8º, a Bandeira Nacional, quando desfraldada com outras bandeiras, portuguesas ou estrangeiras, ocupará sempre o lugar de honra, de acordo com as normas protocolares em vigor. Ou seja, havendo dois mastros, o do lado direito de quem está voltado para o exterior será reservado à Bandeira Nacional, etc.etc.  Entre outras alíneas, o ponto 3 do artigo 3º  não deixa margem para dúvidas: a Bandeira Nacional, quando desfraldada com outras bandeiras, «não poderá ter dimensões inferiores às destas».
E, agora, meus senhores? O que é que vão fazer a este país desfraldado? Será a Lei ridícula ou Scolari, seleccionador de todos nós, alterou o diploma e nem o Conselho de Ministros sabe?

Lília Bernardes

Legislação disponível no site:
http://www.portugal.gov.pt/Portal/PT/Governos/Governos_Constitucionais
/GC15/Documentos/Regras_Uso_Bandeira_Nacional

Um país de pesadelos

Sunday, June 25th, 2006

As buscas no rio Mondego para encontrar dois cadáveres de raparigas, alegadamente assassinadas por um ex-militar da GNR em Santa Comba Dão, realizaram-se hoje na Albufeira da Barragem da Raiva. Seis mergulhadores dos bombeiros voluntários de Penacova e quatro dos sapadores bombeiros de Coimbra estão a fazer buscas sob a orientação de elementos da Polícia Judiciária. O suspeito do assassínio de três raparigas em Santa Comba Dão -  identificado como António Luís Rodrigues da Costa, um militar da GNR reformado detido pela PJ de Coimbra - foi indiciado por três crimes de homicídio qualificado e três de ocultação de cadáver pelo Tribunal da Figueira da Foz. O homem, de 53 anos é suspeito de ter assassinado três raparigas entre os 16 e os 18 anos, desaparecidas desde 24 de Maio de 2005, Novembro do mesmo ano e 8 de Maio de 2006.
LFM

Pena de norte

Sunday, June 25th, 2006

Aos poucos as Filipinas querem dar o exemplo, inclusivé a países (como os Estados Unidos) que se preocupam tanto com os “direitos humanos” mas que mantêm uma prática que é atentatória do respeito pelos mais elementares direitos de qualquer cidadãos, mesmo os suspeitos de terrorismo. De facto ficamos hoje a saber pelas agencias internacionais, que a Presidente das Filipinas, Gloria Arroyo, assinou a lei que decreta a abolição da pena de morte no seu país, decisão tomada na véspera da sua viagem ao Vaticano, o que não deixa de ser sintomático. A lei foi aprovada por unanimidade no início do mês pelo Senado. 

LFM 

Rather - o rinoceronte

Friday, June 23rd, 2006

Dan Rather

Dan Rather, um figurão do jornalismo televisivo norte-americano reformou-se. Deixou de ser o pivot do principal jornal da CBS na semana que agora termina. Este lugar herdara-o de outro nome sonante, walter Cronkite. Rahter tem 73 anos. Se fosse na Europa há muito que já tinha sido retirado de cena. Porque a reforma chega mais cedo e também porque nalguns países se aposta em caras mais jovens. Não fossem uns acidentes de percurso e Don Rather continuava lá, todas as noites ,no jornal da CBS. Acontece que a equipa que trabalhava com ele terá falhado numa questão fundamental a veracidade de notícias divulgadas. Em causa um suposto tratamento preferencial a George Bush quando prestava serviço militar. As fontes consultadas “pareciam” verídicas e Rather anunciou. Verificou-se depois que não era bem assim. A noticia tinha por base um documento falso. Imperdoável. Os administradores não querem saber de justificações - quem manda é o publico e esse acredita ou não acredita.  Rather disse numa entrevista que não sentia necessidade de pedir desculpa pela gaffe. Como repórter achava que se expunha mais do que os outros e que ninguém é perfeito. Depois de 43 anos de ecrã, Rather retira-se dizendo que como os rinocerontes leva algumas cicatrizes, porque há lanças que entram mesmo quando se tem a pele destes bichos. Garante este velho senhor do jornalismo televisivo que as cicatrizes estão todas no peito porque nunca fugiu. Talvez por isso vai continuar a apresentar o programa 60 minutos. Portanto o rinoceronte vai aparecer de vez em quando.

Roquelino Ornelas