Archive for March, 2007

A Rapariguinha do Shopping

Saturday, March 31st, 2007

images.jpg

Foi um fiasco, a sessão de autógrafos de Carolina Salgado na esplanada do Caniço Shopping.
“Penso eu de que” a escritora deixa esta minha cidade com muito má impressão. O que não dirá nos seus círculos no Porto? Que somos uns morcons!?
A pobrezita ficou especada no lindo palanquim que lhe montaram sem vivalma para autografar a sua obra. Pior que isso. Entravam, saíam, olhavam-na com absoluta indiferença. Ninguém comprou. Ninguém pediu dedicatórias.

Roquelino Ornelas

Lisboa ICANN’07

Monday, March 26th, 2007

lisboa_icon.jpg

Esta semana a comunidade com interesses nos negócios da Internet e registo de domínios “desagua” em Lisboa.
É impressionante a diversidade de pessoas que estão a participar nesta reunião mundial da ICANN (Internet Corporation For Assigned Names and Numbers), entidade que coordena e regula, a nível mundial, os domínios de Internet e dos identificadores únicos.
Prevê-se que estejam cerca de 800 participantes, e eles vêm de todo mundo, desde Brasil, Reino Unido, Guiné-Bissau, França, Nova Zelândia, Japão, Nigéria, EUA, Alemanha, África do Sul, Canada, Tunísia, etc, etc.
Portugal ao ser considerado e escolhido para um evento desta envergadura é extremamente positivo. No meu ponto de vista é um dos melhores cartões de visita. Das pessoas que já contactei, todas elas mostraram-se bastante satisfeitas com o que já viram.
A organização, nomeadamente a FCCN, está de parabéns.

Só não percebo uma coisa. Por que razão que a atenção que a comunicação social está a dar a este evento é pouca ou nenhuma? Será que não sabem? Ou será que afinal isto não interessa para nada?

Roberto Xavier

Nota: Vint Cert, considerado por muitos o “pai da Internet”, está apenas a 4 filas à frente de mim :)

Site oficial: http://www.icann-lisboa.pt

Um partido para Mr. Yunus

Friday, March 23rd, 2007

yunus1.jpg

A indiferença e a pobreza são os grandes males do mundo capitalista e é contra isso que Muhammad Yunus luta há 30 anos.
Mr Yunus foi prémio nobel da paz em 2006.  A ele se deve a criação de um banco especializado em microcrédito, o Grameen Bank. Uma espécie de germobanco de sementes de sucesso. Pequeno sucesso em quantidade, um colosso, no entanto, do ponto de vista humano. Milhares de pessoas, sobretudo mulheres têm beneficiado desta porta de oportunidades.
Doutorado em Economia, nos Estados Unidos, a pátria por excelência do capitalismo, Yunus tem 66 anos e metade da sua vida passou-a a ensinar economia e a ajudar os outros. 
Segundo acabo de ler, está agora tentado a formar um partido para mudar o mundo. 
Acha que vivemos um tempo de ilimitadas possibilidades e para ele, um partido destes é capaz de combater a pobreza e ao mesmo tempo resolver um outro problema, o terrorismo.
Mahatma quer dizer grande alma. A Índia já tinha tido a sua, na primeira metade do século passado. É agora a vez do Bangladesh.

Roquelino Ornelas

“O site é só o começo”

Wednesday, March 21st, 2007

diabo.jpg

Há uma publicidade a correr nas nossas televisões que é um mimo.
Uma série de diálogos e a páginas tantas, um “portuga” muito bem caracterizado diz: ” o site é só o começo. Não tarda nada estamos aí todos a falar espanhol.”
Este excerto é um tratado.
O espírito de aventura ombreia com a desconfiança em relação à novidade. Será fórmula ou feitio?

Roquelino Ornelas

Quando a Terra não dá nada

Wednesday, March 21st, 2007

mpt.gif

Pergunto-me o que faz certas pessoas mudarem de partido só para serem candidatos a deputados? Sobrevivência, interesses pessoais? Ou será por ideologia, bem comum, serviço público, dádiva social? Não gosto de fazer processos de intenções mas no caso da candidatura do Partido da Terra lançada por dissidentes do PS/Madeira cheira a puro revanchismo. A quem serve esta candidatura? Ao PSD. Mais nada. Aliás, esta aproximação fez-se sentir na legislatura que agora terminou. Nos discursos dos dois “independentes” que, contra todas as regras, deram-lhe (deu o PSD) estatuto de grupo parlamentar oferecendo-lhes o tal jackpot de subsídio escandaloso. Isto é a política que temos? Parece que sim. Depois querem que o povo participe nesta fantochada.
Os senhores e senhoras do agora MPT, por hombridade, há muito que deveriam ter pedido a demissão do PS. O que é estranho, talvez não seja…que os mesmos se colem agora ao PSD. Fui ao site do MPT. Eis a missão deste partido que, na Assembleia da República, partilha a bancada social-democrata.
«O Partido da Terra assume-se antes de mais como partido ecologista, tendo por base o humanismo e a solidariedade.
Defendemos a igualdade de condições e de dignidade para todos os portugueses e assumimos como alicerce da nossa acção política a defesa da Terra e o Eco-desenvolvimento como um novo modelo de desenvolvimento sustentável, participado pelas comunidades naturais e pelos cidadãos. Apontamos o crescimento económico pelo crescimento, quer ele seja de base mercantilista ou marxista, como o principal factor de desequilíbrio social e de degradação dos recursos naturais, da marginalização social, da pobreza, da indignidade da pessoa humana e das doenças que alastram nas actuais sociedades (…).
 
Acho que não preciso dizer mais nada. Quando a Terra não dá nada, comece-se qualquer coisa. O que interessa é manter o tacho.

Lília Bernardes

Sobe, Sobe, Balão Sobe

Tuesday, March 20th, 2007

nokia-105-ass.JPG

“Sobe, sobe, balão sobe
Sobe, sobe, balão sobe
Eu vivo a sonhar
Não pensem mal de mim
Quanto mais não vale
Viver a vida assim
Nas asas do sonho
E bom andar sem norte
Não preciso ‘vistos’
Nem uso passaporte
Não tenho limites
Parar não é comigo (…)”

Roberto Xavier

Renault desacelera (?)

Tuesday, March 20th, 2007

pendu.jpg

A Renault, fabricante francesa de automóveis, está a repensar a sua política de recursos humanos.
Num encontro com cerca de 2.500 técnicos, o director Carlos Ghosn, [um case-study de gestão] pediu aos seus colaboradores mais directos que elaborem propostas nesse sentido.
Esta inversão de marcha surge na sequência de uma incómoda espiral de suícidios de trabalhadores da Renault. As cartas deixadas são claríssimas. Os suicídas, quase todos quadros superiores e médios, não suportaram a vida de escravo para que foram empurrados.
A Renault já anunciou que vai diminuir a carga horária e admitir mais colaboradores. Mesmo assim ainda são necessárias outras reformas de política de gestão de recursos. 
O Conselho Economico e Social (CES) já tomou posição e revelou que em França há 1 suicídio diário devido ao stresse por motivos ligados ao trabalho .
Se alguém tinha dúvidas em relação ao chamado capitalismo selvagem tem aqui um bom exemplo. Psicólogos e outros especialistas analisam o fenómeno tendo por referência estes números.
No caso da Renault, nos ultimos 4 meses, só na sede de Guyancourt, verificaram-se 3 suicídios e uma tentativa.
O principal factor de desconforto é a resignação - revelou o presidente do CES francês, acrescentando que ” por medo de perder o emprego, as pessoas aceitam mais pressão psicológica e insultos”. Depois há um dia em que viver não faz sentido - digo eu.

Roquelino Ornelas

Jovem agricultor perdido na yarda PROCURA-SE

Sunday, March 18th, 2007

estrelicia.jpg

Era uma vez um rapaz que tinha tudo na vida para ser um homem de sucesso mas um dia perdeu uma caneta e virou-se para o que lhe restava. Uma yardazinha pareceu-lhe a única saída para a sua angústia e sustento, não fossem umas lagartas com fome de rabo irem-lhe às estrelícias.
Mesmo assim à força de unhas conseguiu que as aves do paraíso crescessem para gáudio da sua branquinha.
Aos poucos a sua ligação à terra foi tão forte que deixou os amigos plantados na yarda mais famosa do Funchal…

Os correspondentes da baixa

E se ganha a abstenção?

Saturday, March 17th, 2007

abstencion.jpg

Tenho andado fora da órbitra bloguista. Resolvi continuar a vida académica, deve ser da idade ou problemas de consciência dos vinte anos, o que significa exames. Só tenho saudades dos meus companheiros de há um ano. Mas isso são outras músicas. Eles continuam aqui a alimentar a BOX-M, marca criada numa mesa de café no Caniço entre gargalhadas e muita amizade.

Neste momento, preparo-me psicologicamente para a maratona das eleições. Jornalisticamente falando não têm nada de especial. Os discursos são praticamente os mesmos, o marketing político tão pobrezinho que até faz dó os olhos tristes do dr. Jardim naquele cartaz que pede justiça enquanto os partidos da oposição baralham eleições regionais com nacionais. Eles lá sabem a que senhor pretendem servir.

Por falar em justiça, seria bom que os senhores do governo, das autarquias que é como quem diz…do PSD olhassem para dentro destes 30 anos e fizessem um acto de consciência. Fechem os olhos e pensem se praticaram/praticam ou não o princípio que, agora, é letra gorda de cartaz? Justiça com militantes, com funcionários….pensem. A frase provoca essa questão, sabiam?

Quanto aos outdoors do PS fizeram furor pela surpresa que obrigou a uma reacção imediata do governo. E agora? Quanto ao resto, a mesma coisa, morna, vista e revista. Nem falo nos candidatos do partido da Terra. Se eles fossem militantes do PSD há muito tempo que já teriam sido expulsos do partido. Mas são socialistas, dizem, e as estruturas do PS são tão democráticas que aturam e arrastam situações de puro revanchismo.  A abstenção ainda ganha isto.

 

Lília Bernardes

O poder absoluto de Sócrates

Friday, March 16th, 2007

image001.jpg

“Há uma obsessão controladora, neste PS socrático” escreve Áurea Sampaio, na sua coluna de opinião, na Revista Visão, edição de 15 de Março. Está lá, clarinho como água. Bem escrito e irrefutável. A minha sugestão de leitura vai para este artigo porque partilho inteiramente dos seus pontos de vista. Talvez, admito, porque estou a perder a paciência para beneficios de dúvida. Não suporto maniqueístas, vaidosos, prepotentes e arrogantes. Infelizmente há-os de todas as cores, quadrantes e tendencias. “Tótós que se julgam donos do palco”, como diz um amigo que não escreve artigos de opinião nem postes de blogue, mas que sei, lê este.

Roquelino Ornelas