Contactos E-mail: mkbiomar@uma.pt
 
 
 

 

 

introdução

Muitos dos organismos que habitam a zona rochosa intertidal (zona entre maré cheia e maré baixa) são organismos sésseis, afixados ao substrato. Estes organismos têm no seu ciclo de vida fases livres (larvas) para garantir uma maior dispersão geográfica da espécie. Uma vez que estas larvas de invertebrados marinhos, no caso dos animais, são de dimensões reduzidas e com fraca capacidade de natação, estas dependem sobretudo de mecanismos de transporte externos para chegar ao habitat dos adultos ou seja ao intertidal rochoso. Deste modo, a fixação e o recrutamento das larvas depende em grande parte de processos físicos (MENGE et al., 1997).

 

O transporte das larvas ao intertidal envolve, de um lado, o comportamento e, do outro lado, mecanismos físicos de transporte. Muitas vezes as larvas demonstram um comportamento específico para aproveitar um determinado processo de transporte ou de retenção. Estes processos podem ser complexos porque além do componente do próprio transporte envolve ainda uma variabilidade espacial e temporal. Vários estudos demonstraram que os movimentos de ondas internas podem ser um dos procesos responsáveis pelo transporte de larvas em direcção à costa (p.ex. LADAH et al., 2005, PINEDA, 1999).

 

 

 

 

objectivos
Pretende-se com este projecto criar uma interligação entre a Oceanografia física, a Plânctonologia e a Ecologia Marinha costeira utilizando as cracas (Crustacea, Cirripedia) como organismos modelo.
 
Na parte da oceanografia os alunos poderão desenvolver conhecimento de medição de factores físicos para caracterizar o ambiente relacionando-o com fenómenos biológicos observados, como a distribuição de larvas no plâncton e a distribuição dos adultos afixados. Os alunos poderão também compreender a dinâmica espaço-temporal destes fenómenos oceanográficos, comparando os dados dos vários meses de recolha.
 

 

Além desta componente mais científica este projecto funciona como um complemento curricular face às várias disciplinas das Ciências Naturais dos distintos níveis de ensino, através da possibilidade de requisição de aulas ao nosso clube, integrado numa reserva marítima e onde está localizado o centro de inserção social para jovens.
 
É finalidade do projecto o contacto mais directo com o ecossistema marinho - um conhecimento mais integral dos ecossistemas aquáticos, a criação de uma consciência cívica e de uma atitude crítica, no domínio ambiental, promovendo-se assim a educação para o desenvolvimento sustentável, num compromisso ambiental, pedagógico e social.
 
 
 

BIBLIOGRAFIA


LADAH, L. B., TAPIA, F. J., PINEDA, J. & LÓPEZ, M. (2005) Spatially heterogeneous, synchronous settlement of Chthamalus spp. larvae in northern Baja California. Marine Ecology Progress Series, 302: 177-185.

 

MENGE, B. A., DALEY, B. A., WHEELER, P. A., DAHLHOFF, E., SANFORD, E. & STRUB, P. T. (1997) Benthic–pelagic links and rocky intertidal communities: Bottom-up effects on top-down control? Proc. Natl. Acad. Sci USA, 94: 14530-14535.

 

PINEDA, J. (1999) Circulation and larval distribution in internal tidal bore warm fronts. Limnology and
Oceanography, 44: 1400–1414.

 
 
Webmaster: Énio Freitas 2007 © Centro de Estudos da Macaronésia E-mail: cem@uma.pt