Atividade letiva 2007-2008

Atividade letiva 2008-2009

Atividade letiva 2009-2010

Atividade letiva 2010-2011

Atividade letiva 2011-2012

Atividade letiva 2012-2013

Atividade letiva 2013-2014

Atividade letiva 2014-2015

Atividade letiva 2015-2016

__________________________________________________________

Atividade letiva 2016-2017

__________________________________________________________

 

 

TIC e Educação

(2º Semestre - Ano lectivo 2016-2017)

1º ano da Licenciatura em Ciências da Educação

(Ver o desenvolvimento desta U.C.)

Nesta unidade curricular pretende-se que os estudantes; Reconheçam a premência e a importância da incorporação das TIC na escola e o papel que a sua exploração pode desempenhar na inovação em educação; Avaliem o potencial do software para a criação do(s) contexto(s) da aprendizagem; Utilizem ferramentas informáticas de forma inovadora (como suporte da criação de contextos de aprendizagem “novos”); Aprofundem a importância do construtivismo/construcionismo como fundamento de um projeto de intervenção pedagógica; Aprofundem o papel do meio social e da interação na aquisição, construção e partilha do conhecimento; Concebam as turmas como comunidades de aprendizagem em que os aprendizes são os protagonistas; Concebam a função do professor como organizador dos contextos da aprendizagem, dinamizador da atividade e agente metacognitivo e como elemento de transformação das rotinas escolares tradicionais; Utilizem a Internet como meio privilegiado de recolha e partilha de informação, incluindo software “educativo”.

Programa (pdf)

 

Bibliografia

Brazão, P. (2015). A Escola restante e a cultura digital: entre o déjà-vu e os novos ambientes de aprendizagem. In F. Fraga & A. Kot-Kotecki (Org.). A Escola Restante (pp.209-222). Funchal: CIE-UMa. (ISBN: 978-989-95857-6-8).
Fino, C. N. (2008). Inovação Pedagógica: Significado e Campo (de investigação). In Alice Mendonça e António V. Bento (Org). Educação em Tempo de Mudança. Funchal: Grafimadeira, pp 277-287.
Fino, C. N. e Sousa, J. (2005). As TIC redesenhando as fronteiras do currículo in Revista Educação & Cultura Contemporânea, 3(2), 53-66 1º Semestre 2005. Rio de Janeiro: Universidade Estácio de Sá.
Jonassen, D. (2007). Computadores, Ferramentas Cognitivas. Porto: Porto Editora
Kuhn, T. S. (2004). La estrutura de las revoluciones científicas. FCE Argentina
Lave, J. e Wenger, E. (1991). Situated learning: Legitimate peripheral participation. Cambridge USA: Cambridge University Press.
Papert S. (1997). A família em rede. Lisboa: Relógio d’Água, Editores.
Vigotski L. S. (1999). A formação social da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores. S. Paulo: Martins Fontes.

(Ver o desenvolvimento desta U.C.)

 

Projeto de Investigação-ação

(1º semestre do curso de Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico)

Programa (pdf)

 

Sinopse

Pretende-se nesta Unidade Curricular discutir questões epistemológicas, externas (natureza e validade do conhecimento), internas (como se processa e valida a investigação científica), e éticas que se colocam à Investigação em Educação. A ênfase na investigação-ação concretiza o binómio professor-investigador e reforça a formação do profissional reflexivo. Neste curso é nosso objetivo habilitar os mestrandos para a construção e redação de projetos de investigação-ação, com o locus na Prática Pedagógica e como meta a elaboração relatório final de estágio.

 

Metodologia

É esperado que os mestrandos desenvolvam processos graduais de autonomia no estudo dos aspetos teóricos e metodológicos da investigação-ação em educação.
As aulas organizam-se com exposições, leituras e seminários para discussão dos conteúdos teóricos e metodológicos. A orientação tutorial ocorre em pequeno grupo ou individualmente ao longo das diferentes fases de elaboração do projeto de investigação-ação.

 

Guião de orientação do projeto de investigação-ação (formulário de preenchimento)

Link do guião no Google

 

 

Produtos

Projetos individuais de investigação, segundo uma estrutura de guião a ser discutida nas aulas.

Apresentações dos trabalhos em seminário.

 

Bibliografia principal

Bogdan, R. e Biklen, S. (1994). A Investigação Qualitativa em Educação. Porto: Porto Editora.
Esteves, L. (2008). Visão Panorâmica da Investigação-Ação. Porto: Porto Editora
Fino, C. N. (2010). “Investigação e inovação (em educação)”. In Carlos Nogueira Fino & Jesus Maria Sousa (org.). Pesquisar para mudar (a educação). Funchal: Universidade da Madeira (in press). http://www3.uma.pt/carlosfino/publicacoes/Investigacao_e_inovacao.pdf .
Sousa, A. (2005). Investigação em educação. Lisboa: Livros Horizonte.
Spodek, B. (org). (2002). Manual de investigação em educação de infância. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

 

Outra Bibliografia

Afonso, N. (2005). Investigação naturalista em educação. Um guia prático e crítico. Porto: Asa.
Bardin, L. (1997). Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70. Benbasat, I., Goldstein, D. e Mead, M. (1987). “The Case Research Strategy in Studies of Information Systems”. MIS Quarterly - September 1987, 11, 3, pp. 369-386.
Bento, A. (2011). As etapas do processo de investigação: do título às referências bibliográficas. Funchal: ed. de autor.
Bento, A. (2013). 10 tópicos (e dicas) sobre investigação. Coleção ideias em prática. Funchal:Ed Autor.
Correia, J., e Stoer, S. (1995). “Investigação em educação em Portugal: esboço de uma análise crítica”, em Bártolo Campos (org.), A Investigação Educacional em Portugal, Lisboa, Instituto de Inovação Educacional, pp. 53-75.
Hadji, C., & Baillé, J. (orgs). (2001). Investigação e educação: para uma nova aliança. Porto: Porto Editora.
Oliveira, L. Pereira, A. Santiago, R. (2004). Investigação em educação: abordagens conceptuais e práticas. Porto: Porto Editora
Sousa, J. M. (1997). Investigação em educação: novos desafios. In A. Estrela & J. Ferreira (Orgs). Métodos e técnicas de investigação científica em educação. (PP. 661-672). Lisboa: AFIRSE Portuguesa. FPCE – Universidade de Lisboa.
Tuckman, B. (2000). Manual de Investigação em Educação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Yin, R. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. Portalegre: Bookman.

 

Prática Pedagógica II (2017)

 

(2º semestre do curso de Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico)

Programa (pdf)

 

Sinopse

O Estágio na Educação Pré-escolar e no 1º Ciclo do Ensino Básico A Prática Pedagógica II prepara o estudante para a entrada no mundo profissional. Aceitando o pressuposto que os educadores/professores aprendem nas instituições educativas a sua profissão numa diversidade relacional, e dada a complexa natureza do ato educativo e da profissão docente, pretende-se capacitar os estudantes estagiários para o exercício da profissão atendendo às dimensões profissional, social e ética, de forma a assegurar o desenvolvimento do  ensino/aprendizagem numa perspectiva ecológica e o investimento progressivamente autónomo na sua formação, tendo em conta os descritores de Dublin.

Metodologia

Intervenção científico-pedagógica:

Esta disciplina pressupõe a utilização dos seguintes aspectos metodológicos:
Pesquisa e selecção de informação; reflexão dos conteúdos das Orientações Curriculares para a Educação Pré-escolar e do Programa do 1º Ciclo do Ensino Básico e dos projectos dos estabelecimentos educativos; selecção de recursos para avaliação e caracterização de contextos educativos; elaboração, implementação e reflexão de projectos de sala e de planos de aula numa vertente de trabalho colaborativo com vista à resolução de problemas detectados; avaliação dos processos e dos produtos; Intervenção com a comunidade.

Trabalho com a comunidade educativa da instituição onde os educadores/professores estagiários ficaram colocados (i.e., trabalho com a família, com os elementos da equipa da instituição, com os colegas do seu núcleo de estágio ou com os mais próximos e com o meio envolvente).

Seminários

As aulas de Seminário (S) serão realizadas, através de sessões científico pedagógicas sob a forma de debates, reflexões conjuntas, apresentações temáticas relacionadas com o Estágio e Relatório. Para tal, serão desenvolvidos esforços no sentido de incluir, nestas aulas, convidados especialistas e/ou de reconhecido mérito profissional nas áreas de interesse para os estudantes estagiários.

Orientações Tutoriais

 As Orientações Tutoriais (OT) serão realizadas com pequenos grupos de estudantes estagiários correspondentes aos Núcleos de Estágio. Nestas, serão dadas orientações científicas específicas nomeadamente para a elaboração do Relatório de Estágio.

Autoavaliação (Ficha pdf)

Avaliação (Ficha pdf)

Formulário de avaliação

Produtos

Acção da Prática Pedagógica

 

Bibliografia geral

Cerisara, A. B. (2004). Em busca do ponto de vista das crianças nas pesquisas educacionais: primeiras aproximações.In M. J. Sarmento e A. B.Cerisara (Orgs.), Crianças e miúdos: Perspectivas sociopedagógicas da infância e educação (pp. 35-54). Porto: ASA.
Dahlberg, G., Moss, P. & Pence, A. (2003). Qualidade na educação da primeira infância. Perspectivas pós-modernas. Brasil: Artmed.
Edwards, C. Gandini, L. & Forman, G. (1999). As cem linguagens da criança. Porto Alegre: ArtMed.
Graue, M. & Walsh, J. (2003). Investigação etnográfica com crianças: teorias, métodos e ética. Lisboa: Gulbenkian. 
Oliveira-Formosinho, J. (Org.) (2011). O espaço e o tempo na pedagogia-em-participação. Porto: Porto Editora.
Oliveira-Formosinho, J. (org.) (2008). A escola vista pelas crianças. Porto: Porto Editora.
Ministério da Educação (2007). Gestão do currículo na educação pré-escolar. In Circular nº17/DSDC/DEPEB/2007. Lisboa: Ministério da Educação - Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular.
Ministério da Educação (2010). Avaliação na educação pré-escolar: Procedimentos e práticas organizativas e pedagógicas na avaliação da educação pré-escolar. Lisboa: Ministério da Educação – Direcção-Geral de Inovação e de Desenvolvimento Curricular.
Ministério da Educação (1997). Orientações curriculares para a educação pré-escolar. Lisboa: Ministério da Educação – DEB – Núcleo de Educação Pré-Escolar.
Ministério da Educação (1997). Qualidade e projecto na educação pré-escolar. Lisboa: Ministério da Educação – DEB – Núcleo de Educação Pré-Escolar.
Pascal, C. & Bertram, T. (2009). Desenvolvendo a qualidade em parcerias. Lisboa: Ministério da Educação – DGIDC.
Pascal, C. & Bertram, T. (2000). Desenvolvendo a qualidade em parcerias: nove estudos de caso. Porto : Porto Editora.
Pollard, A. (2002). Readings for reflective teaching. London: Continuum.
Portugal, G. (2010). Avaliação em educação pré-escolar. Porto: Porto Editora.
Spodek, B. (org.) (2002). Manual de investigação em educação de infância. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.
Vasconcelos, T. (1997). Ao redor da mesa grande: a prática educativa de Ana. Colecção Infância: Porto Editora.

Bibliografia Auxiliar

Com o desenrolar da Unidade Curricular, os estagiários e orientadores supervisores irão complementar a bibliografia em conformidade com as necessidades que forem surgindo caso a caso. 
Relevamos a importância da utilização da bibliografia aconselhada durante a formação académica dos estagiários nos anos anteriores.~

 

 

Seminário de Reflexão sobre a Prática Pedagógica II

 

(2 º semestre do curso de Mestrado em Educação Pré-Escolar e Ensino do 1º Ciclo do Ensino Básico)

Programa (pdf)

 

Sinopse

O Seminário de Reflexão sobre a Prática Pedagógica II pretende capacitar os estudantes para a análise de problemáticas encontradas / levantadas no estágio. Estes irão abordar temas decorrentes das suas necessidades formativas, sinalizadas em contexto real da Prática Pedagógica.

Metodologia

O Seminário de Reflexão sobre a Prática Pedagógica II irá incidir a sua metodologia em dois tipos de abordagem: sinalização e estudo em trabalho de pequeno grupo, de temas e problemas decorrentes da Prática Pedagógica; sessões de apresentação e síntese dos temas estudados; palestras com especialistas convidados no debate de temas pertinentes.

Produtos

Apresentações de posters em seminário

Bibliografia recomendada


A bibliografia desta Unidade Curricular será referenciada na medida do estudo das diversas temáticas sinalizadas pelos estudantes.

 

 

jbrazao@staff.uma.pt

Gabinete 01.81
Tel +351 291 705 204

Contacto da Universidade da Madeira

Reitoria da Universidade da Madeira

Colégio dos Jesuítas - Rua dos Ferreiros
9000-082 Funchal - Portugal

Telef. + 351 291 209 400
Fax + 351 291 209 410

Edifício da Penteada

Caminho da Penteada 9020-105 Funchal

Tel: 291 705000