PROGRAMAS                                                                                     
    DOCENTES

OBJECTIVOS

METODOLOGIA

    PROGRAMA

BIBLIOGRAFIA

AVALIAÇÃO

    OUTROS ELEMENTOS

ATENDIMENTO AOS ALUNOS

AULAS

 

DISCIPLINA: MICROECONOMIA I

  ANO LECTIVO: 2010/2011   SEMESTRE:   LICENCIATURA:  

 

DOCENTES                                                                                         
 

Responsável: Prof. Doutor Pedro Telhado Pereira

Assistente: Mestre Celso Nunes

 

 

OBJECTIVOS                                                                                      

 

Finalidades:

A cadeira de Microeconomia I (na sequência da cadeira de Introdução às Ciências Económicas) tem como finalidade substancial fornecer aos alunos os princípios básicos da microeconomia e apresentar-lhes diversos domínios de aplicação da teoria microeconómica. As aplicações apresentadas na às Ciências Económicas são mais de natureza descritiva, por exemplo, o uso do conceito de elasticidade na análise da procura e da oferta, enquanto na Microeconomia I as aplicações envolvem o uso da conceptologia e metodologia económica apreendida, exigindo um trabalho interpretativo face a problemas de ordem positiva ou normativa.

Objectivos de Aprendizagem:

1) Compreender e aplicar novos conceitos da Microeconomia.

2) Utilizar a metodologia da lógica económica, com ênfase na sua formalização matemática.

3) Resolver problemas utilizando a metodologia da lógica económica e os conceitos aprendidos.

4) Ser capaz de seleccionar o modelo teórico apropriado para analisar situações concretas e justificar as suas escolhas.

Três Questões:

Apresentam-se em seguida três questões que têm por base estes objectivos. Ao terminar cada capítulo da disciplina, o aluno deve questionar-se de forma introspectiva com as seguintes questões:

i) Compreendo a teoria/ modelo?

ii) Sei como aplicar o modelo a um contexto específico/ problema concreto?

iii) Quais as críticas que posso fazer ao modelo? Quais as suas limitações? Quais os seus pontos fortes?

Requisitos Mínimos: Os alunos deverão ter conhecimento: 1) da Teoria dos Conjuntos e do significado de condições necessárias e suficientes; e 2) de Álgebra Linear e de Cálculo.

 

METODOLOGIA                                                                                 

 

Os programas das aulas teóricas e práticas, as exposições orais, as frequências e os exames finais estão concebidos para desenvolver e testar de forma aprofundada a compreensão dos princípios e das aplicações da microeconomia. A resolução dos exercícios e problemas das aulas práticas ajudará o aluno a adquirir a capacidade de aplicação dos princípios e ideias da microeconomia.

Formato de Leccionação:

O programa das aulas teóricas é complementado pelo programa das aulas práticas. Cada aluno será integrado num grupo para as aulas práticas.

No início de cada aula há um período de esclarecimento de dúvidas dos alunos.

As aulas têm início 10 minutos após a hora marcada no horário e terminam à hora indicada.

 

PROGRAMA                                                                                       

 

PROGRAMA E LEITURAS FUNDAMENTAIS

0. INTRODUÇÃO

0.1.Apresentação.

0.2.A Microeconomia: objecto de análise e métodos.

Leitura fundamental:

Mateus e Mateus (2001) - Cap. 1.

Frank (1997), cap. 1-2.

1.TEORIA DO CONSUMIDOR

1.1. A restrição orçamental do consumidor.

1.2. Preferências.

1.3. Função utilidade.

1.4. A escolha óptima do consumidor.

1.5. Análise de estática comparada: variações no rendimento.

1.6. Impacto de variações nos preços.

1.7. Teoria da preferência revelada.

1.8. Decomposição do efeito de variações dos preços: a equação de Slutsky.

1.9. A restrição orçamental com dotações: oferta de trabalho.

1.10.O excedente do consumidor. Outras medidas de variação de bem- estar: variação compensatória e variação equivalente.

1.11.A procura de mercado.

1.12. Equilíbrio de mercado.

 

Leitura fundamental:

Mateus e Mateus (2001) - Cap. 2-5.

Frank (1997), cap 3-5.

2.TEORIA DA PRODUÇÃO E CUSTOS

2.1.Factores de produção fixos e variáveis. Curto prazo e longo prazo. Função de produção com um único factor variável. Produtividade média e marginal.

2.2.Isoquantas.

2.3.Rendimentos de escala constantes, crescentes e decrescentes. Rendimentos de escala e isoquantas.

2.4. Funções custo de curto prazo. Custo fixo, variável, custos médios e marginais. A relação entre as curvas de produtividade média e marginal e as curvas de custo médio e marginal.

2.5.Custos no longo prazo: isocustos. Escolha da combinação produtiva óptima.

2.6.Relação entre a via de expansão de longo prazo e a escolha óptima da empresa.

2.7.Rendimentos de escala constantes, crescentes e decrescentes e a forma das funções custos.

2.8.As curvas de custo de longo prazo e a estrutura do sector. Relação entre as funções custo de longo prazo e as funções custo de curto prazo.

 

Leitura fundamental:

Mateus e Mateus (2001) - Cap. 9-12.

Frank (1997), cap. 10-11.

3ANÁLISE DE MERCADOS

3.1.Mercados de concorrência perfeita.

3.1.1.Oferta de curto prazo da empresa competitiva. Equilíbrio de curto prazo. Excedente do produtor e a sua relação com o lucro.

3.1.2. Ajustamento de longo prazo: a oferta de longo prazo de um sector competitivo. A eficiência do equilíbrio.

3.2.Mercado de monopólio. Causas do monopólio.

3.2.1. Receita total, receita marginal e elasticidade da procura. O equilíbrio do monopolista. Ineficiência do monopólio.

3.2.2.Monopólios com duas fábricas. Monopólios com discriminação de preços: discriminação perfeita, de segundo e de terceiro grau.

3.3.Concorrência monopolística.

3.4.Mercado de oligopólio.

3.4.1.Modelos de Cournot e de Stackelberg.

3.4.2.Cartelização e teoria dos jogos: o dilema do prisioneiro. Equilíbrio de Nash.

 

Leitura fundamental:

Mateus e Mateus (2001) - Cap. 14-16.

Frank (1997), cap. 11-13.

 

BIBLIOGRAFIA                                                                                   

 

Bibliografia Fundamental

Mateus, A. e M. Mateus, Microeconomia - Teoria e Aplicações, Editorial Verbo, Lisboa, 2001.

Mateus, A. e M. Mateus, Microeconomia - Exercícios e Estudo de Casos, Editorial Verbo, Lisboa, 2001.

Frank, R., Microeconomia e Comportamento, Mc Graw-Hill, Lisboa, 3ª edição, 1997. (tradução portuguesa).

Frank, R., Microeconomics and Behavior, Mc Graw-Hill, New York, 3ª edição, 1997.

Estes livros seguem aproximadamente as matérias de Microeconomia I. Poderão também ser úteis para alguns tópicos da disciplina de Microeconomia II.

Outras Obras de Referência

Outros manuais, que poderão ser alvo de referência ocasional são

Bade, R. e M. Parkin, Foundations of Microeconomics, 2ª edicção, Pearson Education, 2004.

Besanko, D. and R. Braueutigam, Microeconomics - an Integrated Approach, John Wiley and Sons, 2002.

Dobson, S., G. Maddala e E.Miller, Microeconomics.

Eaton, B. Curtis e D. Eaton, Micro-Economics, 3ª edição, Prentice-Hall, Englewood Cliffs, Prentice-Hall, London, 1995.

Katz, M. e  H. Rosen, Microeconomics, 3ª edição, Irwin, Illinois, 1998.

Mansfield, E., Microeconomics: Theory and Applications, Norton, 8ª edição, Nova York, 1994.

Nicholson, W., Intermediate Microeconomics, Dryden Press, 5ª edição, Londres, 1992.

Pindyck, R. e D. Rubinfeld, Microeconomics, 4ª edição, Prentice-Hall, Englewood Cliffs, Prentice-Hall, 1998.

Varian, H.R., Intermediate Microeconomics: A Modern Approach.

Leituras e Leituras Prévias

Algumas indicações sobre as prioridades de leitura e referências adicionais serão fornecidas durante as aulas teóricas. É importante que os alunos alarguem as suas leituras para além do manual recomendado lendo, nomeadamente, os artigos recomendados, particularmente em matérias de aplicação.

Para alcançar uma aprendizagem significativa o aluno deve ter realizado todas as leituras indicadas previamente a cada aula teórica. Estas coincidem basicamente com os capítulos relevantes no manual recomendado, exceptuando certos tópicos aplicados  os quais serão indicados na aula teórica anterior os textos a ler. As aulas teóricas são complementares às leituras e não substitutas destas. As leituras são essenciais para uma boa compreensão das matérias alvo de discussão nas aulas teóricas e práticas. Recomenda-se aos alunos a leitura dos manuais e artigos de microeconomia sempre acompanhada de folha de papel e lápis para que possam desenhar diagramas e assim verificarem se compreendem a análise e a sabem aplicar a outros casos.

 

AVALIAÇÃO                                                                                         

 

A avaliação é individual e sem consulta. Existem duas modalidades de avaliação: -periódica; -por exame.

Avaliação periódica:

Em dias a definir haverá duas frequências de avaliação. Cada frequência entra com o peso 50% na média dando um valor que arredondado ao inteiro mais próximo ou seguinte (se essa for a opinião da equipe docente) é a nota final. O aluno terá que ter uma nota mínima de 8,0 na segunda frequência para ter aprovação na avaliação periódica. As frequências cobrem toda a matéria até à leccionada uma semana antes da sua realização.

Avaliação por Exame:

Para todos os alunos que não tenham obtido a aprovação na avaliação periódica a nota final é a nota do exame arredondada para o inteiro mais próximo.

 

OUTROS ELEMENTOS                                                                        

 

OBJECTIVOS DAS AULAS PRÁTICAS:

Porque pensamos que o aluno deve participar activamente nas aulas práticas, a leitura prévia é fundamental. A função das aulas práticas é a de desenvolver extensões e aplicações da análise nas aulas teóricas e, em alguns casos, introduzir material inteiramente novo.

Todos os alunos farão breves exposições orais, o que constitui parte integrante do programa de aulas práticas e do método de avaliação por frequências.

Atendendo a uma análise custo- benefício aqui vão um conjunto de benefícios que o aluno deve ter em conta quando escolhe ter uma participação activa nas aulas práticas (deixa-se ao aluno pensar os custos decorrentes):

O QUE O ALUNO DEVE SABER, COMPREENDER E IMPLEMENTAR NO FIM DA ABORDAGEM DE CADA CONTEÚDO PROGRAMÁTICO:

0  Introdução

O aluno deve ser capaz de:

-caracterizar um problema de afectação de recursos em termos de preferências, objectivos e restrições;

-compreender as funções básicas do mercado e do mecanismo de preços;

-compreender a distinção entre análise positiva e análise normativa e o papel da teoria e dos modelos em microeconomia.

1  Teoria do Consumidor

O aluno deve: estar consciente da importância e do papel das preferências e restrições na modelização do problema da escolha do consumidor; ser capaz de aplicar o modelo de forma a obter resultados sobre o comportamento no mundo real. O aluno deve estar em condições de usar o modelo para realizar previsões sobre a reacção do consumidor ou trabalhador à introdução de descontos de quantidade, racionamento, pagamento de horas extraordinárias, e impostos. Os conceitos, as utilizações e os determinantes das elasticidades da procura devem estar apreendidos. Assim como a importância e as aplicações dos efeitos de substituição e rendimento. Deve também estar consciente sobre as críticas à teoria ortodoxa do consumidor.

2.Teoria da Produção e Custos

O aluno deve compreender as ligações entre produção e custos. Dada a equação da função de produção, o aluno deve saber determinar as suas propriedades económicas. Deve estar apto a aplicar o modelo da empresa maximizadora do lucro e tomadora do preço para realizar previsões e extrapolações de estática comparada. Qual o comportamento da empresa perante uma subida da taxa de salário ou no preço do produto, ou à introdução de um subsídio unitário à produção? O aluno deve também resolver formalmente problemas microeconómicos de minimização do custo e de maximização do lucro. Deve estar familiarizado com as implicações económicas de alguns casos estudo de funções de custo e de produção.

3.Análise de Mercados

O aluno deve ser capaz de aplicar o modelo de concorrência perfeita em contextos positivos e normativos e na análise de problemas económicos do mundo real. Por exemplo, como é afectado o bem-estar dos produtores e dos consumidores com a imposição de uma tarifa protectora de uma indústria doméstica? As críticas, os pontos fortes e as limitações do modelo de concorrência perfeita devem estar presentes.

A análise positiva do monopólio deve estar compreendida (pricing markup, incluindo discriminação de preços e pricing não linear, efeitos dos impostos e de diferentes tipos de regulação) assim como a análise de bem- estar do comportamento do monopólio. O aluno deve também resolver formalmente os problemas microeconómicos do monopólio maximizador do lucro.

O aluno deve estar familiarizado com o conceito de equilíbrio de Nash. Deve conhecer os modelos simples de oligopólio de Cournot, Bertrand, Stackelberg e de colusão e resolver problemas microeconómicos formais sobre estes modelos. As noções de interacção repetida no oligopólio e da credibilidade das ameaças devem estar apreendidas. O aluno deve também conhecer algumas das aplicações dos modelos de oligopólio e de concorrência monopolística.

COMPETÊNCIAS TRANSFERÍVEIS EM MICROECONOMIA:

O processo de aprendizagem em Microeconomia I desenvolve competências transferíveis substanciais a que o aluno deve dar especial atenção:

1) A Microeconomia trata da afectação de recursos escassos. Muitos licenciados com actividade profissional nos sectores privado e público são confrontados com problemas de afectação de recursos escassos. Os princípios microeconómicos e o pensamento lógico que o estudo da microeconomia permite inculcar nos estudantes constituem um instrumento importante e útil para tais profissionais. O estudo da microeconomia ajudará o aluno a estruturar o seu pensamento de forma analítica, o que é aplicável para além do contexto profissional.

2) Capacidades de Comunicação Oral. É reconhecido que muitos empregadores colocam grande ênfase neste atributo. O aluno que contribui com uma boa apresentação oral e participa activamente no debate está a aprofundar este atributo.

3) A capacidade de desenvolver relações de sinergia e de cooperação com outras pessoas são também valorizadas pelos empregadores. O enquadramento do aluno num grupo de trabalho visa o desenvolvimento dessas capacidades.

4) Julgamento e Avaliação. A Microeconomia contribui para o desenvolvimento destas competências ao desenvolver a capacidade de identificar forças e fraquezas da argumentação teórica e de determinar as implicações de evidências relevantes.

5) Os métodos microeconómicos constituem uma combinação de instrumentos e abordagens a uma variedade de matérias. Estes instrumentos - análise lógica verbal, matemática e diagramática - contribuem para uma formação que estimula a flexibilidade na aprendizagem, outra característica valorizada pelos empregadores.

 

ATENDIMENTO AOS ALUNOS                                                            

Pedro Telhado Pereira

Terça-feira às 13 h

Quinta-feira às 17h

Celso Nunes

Quarta-feira às 15h30m